Contos de terror #3 - Portas

Sempre à portas onde vou. Pequenas, grandes, sempre à portas, as vezes elas rangem, as vezes são silenciosas. Mas sempre que rangem um calafrio percorre meu corpo e meus músculos tremem deixando um ponto frio dentro de mim.



    Estou para na frente de meu roupeiro, tomando coragem para abrir suas portas. Parece que eles ouviram meus pensamentos pois as portas se abrem sozinhas fazendo mais uma vez um rangido que rompe as barreiras de meu medo, as luzes se pagam e eu não consigo ver mais nada, queria sair, correr, e pedir ajuda, mas havia mãos segurando deus pés e minha cabeça, para olhar bem fundo o que está dentro de meu roupeiro. As portas terminam de se abrir e algo grande cai de dentro dele, não consigo definir o que é, mas consigo ver o contorno preto de um corpo com a luz da lua, mais mãos e mais portas, eles continuam a cair um atrás do outro, e começam a segurar em meus pés, como se não quisessem que saísse, até que uma hora, eles me soltam, mas não sou eu mesma agora sou como um deles, escondidos nas portas de roupeiros esperando minhas próximas vitimas.



Olááá meus leitores, e ai? Gostaram? Bem, ficou meio grande mas até que eu gostei dele, espero que também tenham gostado, um beijo e uma boa leitura.



~ Cuidado com as portas... nunca se sabe o que á atrás delas.

Share this: